Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Veja o que pode acontecer com seu relacionamento quando você revida uma traição


     
Mario Anzuoni/Reuters

O casal Rupert Sanders e Liberty Ross, antes das fotos do cineasta beijando Kristen Stweart virem a público
Heloísa Noronha
Do UOL, em São Paulo
Para a alegria dos fãs da saga "Crepúsculo", tudo indica que Robert Pattinson perdoou a traição de Kirsten Stewart. Segundo sites e tabloides especializados em celebridades, os intérpretes de Edward e Bella estariam até pensando em se casar, mas, por enquanto, teriam feito um pacto de não transarem. Na casa de Rupert Sanders, porém, a paz está longe de reinar. Conforme as últimas notícias de Hollywood, o diretor com quem a atriz foi flagrada aos beijos não recebeu a mesma compreensão da mulher, a modelo Liberty Ross.

Mesmo continuando casada com Rupert, a moça tem sido vista acompanhada. Seria uma vingança pública? A probabilidade é grande. E pode funcionar? Talvez. Para alguns especialistas, pagar uma traição com a mesma moeda tanto pode reaquecer um romance quanto enterrá-lo definitivamente.
Julia Bax/UOLVocê perdoaria uma traição?
  • Talvez. Mas acho que a confiança ficaria abalada e a relação jamais seria a mesma.
  • Jamais. A traição representa o fim da confiança e, portanto, do relacionamento.
  • Talvez. Se meu parceiro se mostrar arrependido e me amar, posso pensar no caso.
  • Sim. Errar é humano e eu também estou sujeito a cometer um deslize.
  • Sim. Uma traição pode até melhorar as coisas e apimentar o relacionamento.
Ver resultado
De acordo com a psicóloga Raquel Fernandes, a infidelidade pode funcionar como uma espécie de teste em relacionamentos que começaram há pouco tempo. "Como o casal ainda não se conhece com profundidade, e às vezes nem existe um compromisso sério, há a possibilidade de um dos dois trair com o objetivo de testar os próprios sentimentos", diz. "Então, o outro acaba fazendo o mesmo para dar o troco, porque também fica em dúvida". A decisão de ficar juntos ou não, nesse caso, tem mais a ver com a disposição para continuar a relação do que com a troca de chifres em si.
É possível que Liberty Ross sequer tenha trocado beijos com outro homem. Mas investir na linguagem corporal para insinuar intimidade com outra pessoa é o suficiente para provocar uma crise de ciúmes daquelas e considerar a vingança consumada. Imaginar, para alguns, provoca mais sofrimento e dor de cotovelo do que ter certeza do que está acontecendo.

Para a psicoterapeuta Gisela Castanho, a traição pode despertar emoções adormecidas. "Não recomendo, claro, mas o ciúme pode ter efeito afrodisíaco. Um homem, por exemplo, pode voltar a perceber o quanto a mulher é bonita e desejável depois de vê-la nos braços de outro", explica. E, para algumas pessoas, provar o gostinho do próprio veneno ajuda a avaliar as consequências das atitudes em relação aos outros.
Segundo o psicólogo e professor universitário Thiago de Almeida, mestre pelo Departamento de Psicologia Experimental do Instituto de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo), cometer uma infidelidade em retaliação à outra é uma tática mais feminina do que masculina.

"Quando são traídos, os homens, em geral, rompem e nem querem ouvir as justificativas femininas. Já as mulheres que decidem dar o troco, como forma de autoafirmação, querem chamar a atenção", conta. "Para algumas, porém, é uma tentativa de elevar a autoestima que pode colocá-la ainda mais para baixo, principalmente se houver arrependimento", diz Raquel.
Entre os prejuízos da estratégia, tanto para homens quanto para mulheres, o rompimento ocupa o primeiro lugar da lista. Apesar de ter traído primeiro, e de possivelmente ter se arrependido do que fez, a pessoa que é alvo do revide nem sempre está disposta a encarar o episódio com desprendimento. E ações intempestivas têm o risco de machucar quem estiver em volta: filhos, amigos, familiares.

Outro perigo, para os casais que conseguem superar a infidelidade mútua, é transformar as puladas de cerca em algo recorrente, como forma de irritar ou se vingar. "O ideal é que a traição sirva para que homens e mulheres repensem a relação. Transformá-la em algo banal só vai aumentar o abismo entre eles", declara a psicoterapeuta Gisela Castanho

Um comentário:

  1. SA TIVE UM RELACIONAMENTO POR QUASE 25 ANOS NESTE TEMPO MUITA ACONTECEU COM O CASAL,DISCUÇOES DESENTENDIMENTOS ETC...NAO TIVE UM BERÇO FUI CRIADO PRATICAMENTE PELO MUNDO SEM FAMILA E SEM AMPARO TENHO UMA FILHA DESTE RELACIONAMENTO QUE AMO MAIS TUDO RAZAO DA MINHA SEGURADA NESTA ONDA- FUI TRAIDO - NO PASSADO NOS DEI UMA NOVA, PEDI PRA QUE ELA REGASSE ENTAO MINHA PLANTA E EU NAO TOCRIA MAIS NO ASSUNTO MAIS ISSO NAO VINHA OCORRENDO E ELA COM CONSTACIA ME RELEMBRAVA ATRAVES DO SEU COMPORTAMENTO, BOM PARECE QUE ESTOU VENDO TUDO DE NOVO NA MINHA FRENTE E DESCOBRI DENOVO A TRAIÇAO E AGORA VEI ME DIZER QUE QUER SER LIVRE SE AGENTE NAO SE FAZER FORTE FICAMOS EM FRANGALHOS POIS AS RESPOSTA QUE VEEM DE LA SAO MEREMENTE COISAS DO PASSADO POR QUE VC FEZ ISTO OU AQUILO ( SOBRE DISCUÇOES ETC..) BOM E ISSO SOU FAMILIA AMO SER ASSIM NAO DEIXO QUALQUER UM FAZER PARTE DO MEU UNIVERSSO POIS ME SINTO MUITO ESPECIAL PARA RELACIONAMENTOS ACREDITO EM UMA RELAÇAO VERDEIRA AONDE O CASAL PODE RESOUVER TUDO COM MUITA CONVERSSA SENTIMENTOS VERDAIROS.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels