Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A "ariranha" e outras mulheres de Avenida Brasil.



Sucesso atual da TV brasileira, a novela “Avenida Brasil”, trama do horário nobre da Rede Globo, tem chamado atenção do público pelos diferentes tipos de personagens femininos. Da “ariranha” devoradora de homens Suelen (Ísis Valverde) a recatada interiorana Tessália (Debora Nascimento), a postura destas mulheres perante o amor e o sexo retratam a variedade de comportamentos da vida real. A seguir você confere os perfis de seis personagens e a opinião de especialistas sobre elas.

A "maria chuteira" Suelen parece liberada sexualmente, mas não é bem assim...
Suelen (Ísis Valverde)
20 e poucos anos
Perfil: Jovem de origem humilde e sem um rumo profissional definido, Suelen se encaixa perfeitamente no estereótipo da “maria chuteira”. Seu grande objetivo de vida é se casar com um jogador de futebol rico.
É a figura mais despudorada da novela, com a sexualidade ocupando uma posição central em sua vida. Já disse em alto e bom som: “Eu não vejo graça em ser santinha do pau oco”. Faz sexo com quem bem entende, sem se preocupar com os comentários. Essa postura é amada pelos homens, mas odiada por suas mães e namoradas, que chamam a moça de “ariranha” – uma gíria que denomina mulheres vulgares e perigosas.

“Ainda existe preconceito com a mulher que demonstra que gosta de sexo. Ela pode até gostar, mas não 'deve' verbalizar isso”, analisa a psicanalista, escritora e colunista do Delas, Regina Navarro Lins, dando uma pista sobre o motivo das reações que Suelen desperta.
De acordo com Mirian Goldemberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o sexo para Suelen vai além do prazer, e esse aspecto não deve ser confundido com liberdade sexual. “Ela não faz sexo só quando deseja, mas também quando quer ter algum ganho material dos homens”, aponta.

Carminha finge amar Tufão, mas seu verdadeiro desejo é por dinheiro e poder
Carminha (Adriana Esteves)
40 e poucos anos
Perfil: Grande vilã da novela, é capaz de tudo para se dar bem na vida. Trai o marido com o mesmo amante com quem já se encontrava antes mesmo do casamento.
A vida afetiva não parece ser a grande prioridade de Carminha. Na verdade, ela mostra muito mais prazer quando está executando suas tramoias do que quando está fazendo sexo. “Muitas pessoas investem o seu desejo e tesão na obtenção de dinheiro e poder. Isso as satisfaz. Neste sentido, a sexualidade pode ficar em segundo plano”, diz Regina, tentando entender o comportamento da personagem.
O sexo com o marido Tufão (Murilo Benício) não é dos mais animados, mas com o amante Max (Marcello Novaes), as coisas ficam quentes, sempre numa pegada mais agressiva, com ela no comando. Nesta última relação, Regina explica que Carminha inverte os papeis tidos como tradicionais, numa dissolução do que é masculino e feminino.

Muricy cedeu aos encantos de um homem mais jovem - mas só depois de ser trocada por uma mocinha
Muricy (Eliane Giardini)
50 e poucos anos
Perfil: Após um casamento de muitos anos, Muricy foi trocada por uma mulher mais jovem. Envolveu-se com um homem mais novo. A princípio seus filhos não aprovaram o relacionamento, mas ela insiste: “seu pai arranjou uma jovenzinha, eu vou querer um jovenzinho também”.
A aceitação de um relacionamento entre mulher mais velha e homem mais novo é recente. “Eu acho que as pessoas estão buscando o prazer e a felicidade independentemente da idade do parceiro. E não é uma questão de golpe do baú, como se costumava pensar”, diz Thiago de Almeida, psicólogo especializado no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso. Mirian concorda, e chama a atenção para o tipo de relação que Muricy e Adauto (Juliano Cazarré) têm: “Ela, que tem mais experiência de vida, ensina muitas coisas ao Adauto, que é mais jovem. Hoje em dia vemos muitos casais assim”.
O fato das mulheres mais velhas serem mais compreensivas também atrai os homens mais jovens, cansados do excesso de cobranças e demandas. “Quando converso com homens que se relacionam com mulheres mais maduras, eles sempre dizem admiram muito esta tranquilidade”, conta Mirian.


Monalisa sofreu uma desilusão amorosa e hoje preza por sua independência
Monalisa (Heloisa Périssé)
40 e poucos anos
Perfil: Empresária bem-sucedida profissionalmente, ela dá valor a sua independência e gosta de tomar sozinha todas as decisões. Adora a solteirice, mas também gosta do namorado, e de sexo.
Depois de sofrer uma desilusão amorosa, acreditando erroneamente que o noivo a traia, Monalisa ficou mais cética quanto ao amor. Tem um namorado de muitos anos, mas resiste em oficializar a união, temendo perder a sua liberdade. “Quem manda no meu controle remoto sou eu”, brinca a personagem. “Muitas mulheres pensam desta maneira atualmente. Não é que elas não amem e desejem o parceiro, elas só não querem que a intimidade de viver junto corroa a relação”, pontua Mirian.
“Compartilhar o mesmo espaço nem sempre é muito fácil. Dividir o mesmo banheiro, por exemplo, é complicado. Para muitas pessoas, as relações funcionam mais quando cada um fica na sua casa”, conclui a antropóloga.



Tessália se apaixonou pelo jeito protetor de Leleco - mas ela pode não ser tão indefesa assim
Tessália (Débora Nascimento)
20 e poucos anos
Perfil: Moça do interior vítima de um namorado ciumento, Tessália foi viver na capital. Acaba se apaixonando por Leleco (Marcos Caruso), um homem maduro e muito mais velho que ela. Ele deixa a mulher para ficar com a jovem, mas sente-se inseguro o tempo todo e faz cenas de ciúme.
Almeida chama a atenção para a repetição da situação de ciúme nos relacionamentos de Tessália. “A beleza pode ser uma benção, mas para quem se relaciona com uma pessoa muito bonita, é uma ameaça. Em vez de o parceiro ficar feliz e tranquilo porque uma mulher tão bonita o escolheu, ele fica com medo de que outro possa vir e ‘roubar’ o seu amor”.
Mas Almeida alerta: “As pessoas muito bonitas às vezes são subestimadas: tendemos a achar que alguém pode tirar proveito delas, como se não fossem espertas e independentes como os outros”. Ao que parece, Tessália não é a mocinha interiorana bem comportada e fiel que todos pensam... Melhor Leleco ficar com os olhos bem abertos mesmo.

Débora larga tudo por Jorginho sem hesitar, e não se importar em ser a segunda no coração de seu amor
Débora (Nathalia Dill)
20 e poucos anos
Perfil: É uma talentosa acrobata. De família rica, não aceitou a grande oportunidade de trabalhar em outro país para ficar ao lado de seu namorado, o problemático Jorginho (Cauã Reymond).
Quando foi trocada por outra, não se conformou, insistiu e, segundo ela mesma, “se humilhou” na tentativa de reconquistar o seu amor. Quando Jorginho foi deixado, ela foi atrás e reatou o relacionamento. Débora parece aceitar ser a segunda no coração de seu amado, o importante é estar ao seu lado.
Segundo Almeida, Débora sofre de falta de assertividade, que é a capacidade da pessoa se colocar para o mundo. Existem dois tipos de personalidade não assertiva: a passiva e a agressiva. Débora é passiva, desiste de seus sonhos por outras pessoas, se intimida perante os outros, não sabe expressar sua vontade. A falta desta habilidade social pode levá-la a perder oportunidades, tanto no trabalho quanto com a família ou no amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels