Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Limites da intimidade - banheiro de porta aberta, calcinha no box...

Limites da intimidade

No começo do namoro, quando estamos bem apaixonados, qualquer atitude do outro parece linda e bem intencional. A toalha molhada dele na cama, os fios de cabelo na pia do banheiro, tudo é tolerável e até "engraçadinho", mas e depois, até quando vai o limite da intimidade?
Com a chegada da rotina, algumas posturas deixam de ser tão belas assim.


O psicólogo Thiago de Almeida, especialista no tratamento das dificuldades nos relacionamentos amorosos e autor do livro "A Arte da Paquera: Inspirações à Realização Afetiva" (Ed. Letras do Brasil), diz que conforme a relação amadurece, algumas coisas incomodam e passam a abalar nossa zona de conforto.

Como exemplo, ele cita o filme "10 Coisas Que Eu Odeio em Você": "A moça invade o espaço dele em vários sentidos. Coloca detalhes rosa no banheiro, troca os lençóis dele e chama o companheiro de apelidos íntimos na frente de amigos, sem que isso tenha sido previamente conversado. E para alinhar umrelacionamento, saber o que pode ou não ser invasivo, nada mais importante do que o diálogo", afirma.
O jornalista Robson Morais, de 23 anos, concorda. "Um amor verdadeiro resiste a qualquer assunto, suporta a verdade. Briga acontece, término pode acontecer, mas o que há de ser, sempre prevalece". Ele defende ainda que a intimidade é conquistada, é uma linha que aos poucos se ultrapassa. "O limite é o respeito, o companheirismo. Não há abuso, mas há o bom senso, o caráter, o valor e, principalmente, o sentimento. A cumplicidade permite extravagâncias, mas o cuidado é necessário".
A namorada de Robson, Ariane da Silva, de 19 anos, completa: "A intimidade surge quando o bem-estar da outra pessoa passa a ser tão importante quanto o seu. E o abuso começa a partir do momento em que a pessoa se sente propriedade da outra, corrompendo o respeito básico que qualquer ser humano deve ter com o outro."
É fato que não existem regras quando o assunto é intimidade. Depende da experiência, do passado de cada pessoa. Mas Dr. Thiago ressalta: não se pode fazer nada aparentemente errado em nome do amor ou do ciúme sem achar que isso não possa se reverter de maneira negativa depois. "Com o tempo, o homem pode se sentir incomodado ao ver sua parceira adicionando todos os seus amigos no Facebook dela. Ele pode interpretar isso como um monitoramento de rede social", exemplifica.
Hugo Pereira, repórter de 35 anos, acredita que certos hábitos da pessoa não mudam, independente do tempo que o casal esteja junto. O que acontece é que a convivência vai gerando certas intimidades, sem eles mesmos perceberem. Para ele o lado preferido da cama, a calcinhapendurada na porta do box do banheiro, a toalha molhada em cima da cama são alguns exemplos que não atrapalham quando há equilíbrio entre o casal.
"Por outro lado, há uma coisa que se deve manter intacta: a individualidade. Eu particularmente jamais iria ao banheiro com a porta aberta e ficaria muito sem graça se encontrasse um absorvente sujo em cima da pia. Certamente eu não estaria com essa mulher!"
O psicólogo lembra ainda que abrir a carta do parceiro, mexer no celular sem autorização, vasculhar carteira/bolsa, mesmo que com boa intenção, pode incomodar. "Essa história de que entre o casal não existe segredo não tem muito fundamento. Seu parceiro tinha um passado antes de você chegar e nada justifica um ato que o desrespeite", diz.


Hugo Perez tem a mesma opinião: "Essas áreas extremamente pessoais e jamais devem ser invadidas pela parceira se não há um acordo prévio entre ambos. Os limites são impostos pela convivência e só irão funcionar com bom senso e constantes conversas entre o casal. Não faça para o seu parceiro o que não gostaria que fizesse para você!"

Ariane arremata: "Duas pessoas que se relacionam e se amam a longo prazo não se magoam intencionalmente. Acredito que joguinhos de egocentrismo existam num relacionamento imaturo, que dificilmente chegará a um certo patamar."
Por Juliana Falcão (MBPress)

Um comentário:

  1. Acho que eu e meu marido somos um casal mt intimos...pois aqui em casa vamos os 2 no banheiro de porta aberta...e pior qnd um esta no banheiro o outro geralmente esta sentado na porta conversando rsrs...mexo na carteira e celular dele assim como ele mexe na minha bolsa na boa...(claro que não é por crise de ciumes...na maioria das vezes é pra pegar dinheiro, documento dos filhos, ou o telefone de algum conhecido)...temos os msm amigos no facebook e indicamos o amigo qnd o outro ainda não conhece, alias, nossas senhas ficam salvas no pc e nem temos o trabalho de sair para o outro entrar, as vezes até brigo com ele pq abro meu face e ta logado no dele rsr...colocamos toalha molhada na cama os 2, arrumamos a casa junto, compartilhamos lembrancas do passado de ambos...alias eu guardo as minhas cartinhas de namorado, e guardo as dele tbm (as das antigas ex...afinal são ex e a experiencia dele com elas contribuiu para que ele seja quem é hj), claro que brigamos, algumas brigas bem feias de vez em quando, a ponto de partir pra agressão fisica (eu bato ele se defende rsrs), mas nunda deixamos elas seguirem para o dia seguinte, briga de hj, resolve hj. amanhã é outro dia...mas nunca precisou chegar o outro dia...fazemos as pazes no msm dia e dormimos abraçados como 2 caras de pau rsrs...qnd meu filho mais velho pergunta: pq vcs brigam? respondemos para poder fazer as pazes rsrs...talvez por td isso e mt mais estamos rumo ao 11º ano de casamento e temos 3 filhos...

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels