Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Conheça o manual do sexo casual para curtir o Carnaval

Nos dias de Carnaval, tem muito folião que resolve curtir as festas ao máximo, o que também pode incluir envolvimento com mais pessoas do que o habitual ou com quem não se tem muita intimidade (talvez, nenhuma). Por isso, é importante ter algumas informações em mente antes de topar o sexo casual.
Para quem procura se divertir e não deseja ter dor de cabeça nem ressaca moral depois de prolongar a folia na cama, especialistas em relacionamento disseram o que os amantes precisam saber para curtir as festas. Navegue pelo itens abaixo e veja as dicas de Thiago Almeida, psicólogo e coautor do livro “A Arte da Paquera” (Editora Letras do Brasil), e Juliana Bonetti, terapeuta do Inpasex (Instituto Paulista de Sexualidade).
Etiquetas e cuidados do sexo casual
Não cobre
Se você topou encarar uma relação em que o sexo está em primeiro plano, não crie expectativas de que o enlace vai dar em algo sério e não faça cobranças. Como explica o psicólogo Thiago Almeida, “o sexo casual é um 'test-drive' da parceria, sem compromisso, um passo além do 'ficar'". Para ele, a prática é o "'carpe diem' dos relacionamentos amorosos". Ele diz que quem busca sexo casual deve entrar na relação ciente de que, nesse caso, o importante é o prazer imediato, sem pensar no futuro. "O sexo casual é bom quando as duas pessoas concordam que a relação é momentânea". E lembre-se: frequentemente, homens se tornam românticos quanto têm interesse sexual em uma mulher, o que não significa que esteja envolvimento emocionalmente.
Escolha bem
Apesar de os laços emocionais serem poucos entre os parceiros que buscam sexo casual, é importante avaliar se é alguém com quem vale a pena dividir o momento de prazer. Segundo a psicóloga Juliana Bonetti, só com bom senso você terá o mínimo de satisfação e qualidade na hora do sexo. O melhor a fazer, portanto, é obter algumas informações mínimas sobre a pessoa. E tenha atenção ao comportamento dela. "Perceba os sentimentos que as atitudes dessa pessoa despertam em você e aja segundo essas percepções”, diz a terapeuta.
Thiago Almeida aponta outros fatores que podem facilitar a seleção. "Verifique a constância no comportamento da pessoa e se ela fala coisas que fazem sentido. O interessado ainda pode investigar há quanto tempo o outro está sozinho e por que está só, por exemplo". No entanto, toda a folia das festas pode atrapalhar essa escolha mais atenta. “No Carnaval, há alguns fatores concomitantes que alteram a consciência das pessoas, como o álcool, que facilita a impulsividade." Por isso, é melhor evitar o sexo com pessoas desconhecidas se você bebeu demais (ou com quem exagerou).
Tenha certeza
Para não correr o risco de se arrepender e ter uma ressaca moral no dia seguinte à transa, tenha certeza de sua decisão. Há pessoas que não encaram bem a ideia de transar quando não há intimidade. Se é o seu caso, evite. "Sendo a busca por sexo casual consciente, é preciso estar seguro para arcar com possíveis consequências. O estado emocional da pessoa deve estar equilibrado para que seja prazeroso", afirma a psicóloga Juliana Bonetti. "Muita gente faz sexo casual por insegurança, para obter algum tipo de aprovação e até por carência. Mas, claro, isso não é uma regra."
Estabeleça limites
No sexo casual, é recomendável estabelecer limites. Ambos devem apontar o que gostam, até onde o outro pode ir e mostrar o que esperam dessa relação. Não tenha vergonha de dizer que algo te incomoda. Assim, por mais que os parceiros não se conheçam muito bem, ao menos terão o mínimo de satisfação sexual garantida. "O termômetro do que é permitido é a noção do próprio indivíduo. Os limites vão depender da pessoa. Isso quer dizer que cada um tem um parâmetro e não existe certo e errado quando a prática é consentida pelas partes envolvidas", diz a psicóloga Juliana Bonetti. Mas evite práticas que a maioria das pessoas não se sente à vontade de praticar com quem não tem intimidade (como palavrões e tapinhas, por exemplo).
Proteja-se
Usar camisinha é a principal regra e não deve ser quebrada. Conforme afirma o psicólogo Thiago Almeida, em ocasiões como o Carnaval, muitas pessoas acabam não pensando nas consequências do sexo sem proteção. "Além da gravidez indesejada, há o perigo das doenças sexualmente transmissíveis. Praticar sexo sem camisinha pode trazer uma dor de cabeça para o resto da vida."
De acordo com a mais recente pesquisa do Ministério da Saúde sobre o comportamento sexual brasileiro, publicada em 2008, cerca de 28% da população, entre 15 e 64 anos, faz sexo sem compromisso com um ou mais parceiros no período de um ano. O relatório ainda aponta que, entre as pessoas que fazem sexo casual, as mulheres são as que menos usam proteção, 34,6%, enquanto 51% dos homens fazem uso de preservativos. Os dados mostram, também, que os jovens de 15 a 24 anos são mais conscientes, já que 67,8% dos que tiveram encontros descompromissados usaram proteção.

2 comentários:

  1. A pessoas e pessoas mas sendo ti entre muitas dela es previlegiada de expor e compor por meio de uma e mais linhas frases e pensamentos memoraveis.....E de minha parte nao me canso nunca de conferir-te elogios pela modestia co que expoe seus sentimentos e penasmentos daquilo que e le......Carinhosamente deixo-te meu grande abraço
    e agradeçoa por fazer parte do meu blog......com os seu comentarios que o faz crescer assim como ti assim como eu
    http://www.uanderesuascronicas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Dr. Thiago, pesquisando no internet achei o blog interessante e quero tirar uma dúvida com o SR. Bom, a uns 3 anos atrás, quando eu tinha 17 anos me apareceu a oportunidade de perder a virgindade, foi formado 2 casais, eu e um amigo meu, e duas amigas, acontece que eu estava bastante tenso, e a garota pela qual iria transar não fazia meu tipo, digamos assim, não me atraia sexualmente, mas eu fui tentar, isso os 4 em um único quarto, resultado acabei não tendo uma ereção, acredito eu pelo fato de não estar a vontade por ser minha 1º vez e tal, fiquei muito puto comigo mesmo, mas isso já passou. De lá pra cá tive alguns relacionamento curtos e sem sexo. Recentemente tive a oportunidade de rever uma velha amiga e tivemos quase um transa, ficamos na pegação e tal, tive muito tesão por ela, mas do nada perdi minha ereção, não deixei ela perceber pois fiquei muito envergonhado. Como nunca tive relação sexual(já fiz sexo oral em mulheres e outras coisas porém nunca penetração), achei estranho ter perdido o tesão de uma hora pra outra, sem alguma explicação. Dr. queria uma opinião ou dica do Sr referente ao meu caso, estou muito frustrado pelo que aconteceu. Vale ressaltar que sempre tenho ereções, todos os dias, inclusive em meu momentos intimos que são praticamente diários. Grato Dr. tenha uma Boa noite. OBS: Tenho 20 anos

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels