Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

sábado, 10 de setembro de 2011

Festa de divórcio pode ser importante para superar a separação




Ela chegou de limusine com o buquê de flores, véu e grinalda. Fez a entrada triunfal, cortou o bolo e comemorou a nova fase da vida. Apesar de parecer, o motivo da festa da jornalista Meg Sousa não é uma união matrimonial. A comemoração é pelo divórcio. Meg decidiu fazer uma festa para mostrar para os parentes e amigos que ela estava muito bem após a separação.
Depois de quase quatro anos de casada e um divórcio dolorido, a decisão de Meg por uma festa foi quase natural. "O meu principal objetivo era mostrar para quem eu amava que eu estava bem, que o sofrimento tinha passado", comenta.
A jornalista entrou em contato com os amigos que já trabalhavam com eventos e decidiu que sua festa de divórcio ia ser completa. Escolheu o bufê, a banda, os violinistas, fez questão até do "bem-separado", o clássico docinho feito de pão de ló. Tudo para que a noite fosse de divertimento para todos - até seu ex-marido foi convidado para a festa.
Para o psicólogo especialista em relacionamentos, Thiago de Almeida, a festa de divórcio pode ser uma boa oportunidade de validar socialmente a nova decisão e demonstrar que está tudo bem. "Às vezes é importante passar por um ritual e mostrar para a sociedade os sentimentos, e isso pode acontecer em forma de festa, sim", ressalta o psicólogo.

Meg ainda comemorou as Bodas de Papel Rasgado, fazendo uma brincadeira com primeiro ano de casamento, que seria Bodas de Papel. "A primeira festa foi tão divertida, que todo mundo pediu outra no ano seguinte", lembra.

Para a jornalista, a sociedade ainda vê o divórcio como algo negativo. "Ainda é uma vergonha perante a sociedade a mulher ser divorciada. Mas eu não acho que por isso a mulher deva ficar chorando em casa, escondida", afirma. Para ela, foi importante fazer a festa e perceber que não estava passando por esse momento sozinha. "Todos os meus amigos estavam lá, se divertindo e me dando apoio" lembra.
O sucesso das festas foi tão grande que teve gente que entrou em contato com Meg para organizar outras festas de divórcio. "Muitas mulheres entraram em contato, falando que tinham adorado minha ideia, e queriam ajuda para planejar a festa delas", comenta.
Thiago de Almeida lembra que é preciso cautela na hora da comemoração. "É preciso lembrar que cada um elabora o luto de uma forma, e às vezes, a festa pode parecer uma provocação para o ex-companheiro", comenta.

O psicólogo lembra que as pessoas passam por cinco fases após terminar um relacionamento. A negação, quando a pessoa não aceita a separação, a raiva, a negociação, a tristeza e a aceitação. Thiago afirma que a melhor hora para fazer uma comemoração de divórcio seria após a aceitação de ambos. "Os dois precisam estar seguros de que não estão mais conectados afetivamente, para que não existam mágoas", argumenta.
O momento pode ser lúdico ou particular, como ir com os amigos pra balada ou fazer uma festa íntima em casa. "Socializar o divórcio e se preparar para um novo projeto de vida pode ser produtivo para ambos", diz o especialista.
Para Thiago, o importante é a celebração e a aceitação do divórcio. O ser humano é simbólico e precisa de alguns rituais para autenticar algumas escolhas pessoais para a sociedade, por isso a escolha por uma festa pode ser importante para "virar a página" e partir para outra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels