Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Boletim da Paquera V: Quais os sinais de que alguém está a fim de você?

O corpo fala e os olhares furtivos são os maiores indícios. O corpo posicionado como se estivesse em direção da pessoa entrega. No caso de mulheres, o jogo sensual com o cabelo é um indicativo muito comum. Tente ler nas entrelinhas das atitudes da pessoa e logo estarão  num belo papo ou com troca de contatos. Veja o que você faz quando está interessado(a) em alguém, e tente perceber esses movimentos nessa pessoa. Se os olhares são intensos, então já é um sinal de que ela está interessada sim. Logo, a troca de olhares deve ser correspondida. O próximo passo é tentar se aproximar puxando assuntos. Vire amigo dela. Para os tímidos, a ferramenta infalível a que devem recorrer é a internet ou os torpedos. Através de mensagens pelo celular ou conversas por MSN, Orkut ou e-mail a aproximação desejada será imediata.  É importante também saber identificar as possibilidades de interesse recíproco ao dar indiretas para alguém. Saber ler as reações do outro é meio caminho andado para se dar bem na paquera. Ocorre que por este caminho há muitas armadilhas. Uma pessoa extrovertida, por exemplo, pode passar a sensação de ser um potencial parceiro afetivo, sexual ou afetivossexual, quando na verdade não é.
Somos seduzidos em todos os lugares da vida nos quais interagimos com alguém. Em se tratando de sedução, devemos saber que todos temos pontos fracos. Portanto, o segredo é investir no maior número de frentes possíveis e de modo adequado para conseguir seus objetivos.  Dessa forma, o processo de verificação diminui a ambiguidade na leitura dos comportamentos emitidos por diferentes pessoas.
É importante que você reconheça pelo menos alguns dos sinais pró-paquera, ou seja, sinais positivos de que há uma grande probabilidade que a outra pessoa está interessada em você também. Confira a lista a seguir, antes de tomar a iniciativa de investir na paquera.
Ele (a) o (a) olha nos olhos por mais de três segundos, quase se oferecendo.
Ela (e) não deixa que a distância entre vocês seja superior a metros, e também faz de tudo para não o (a) perder de vista.
Numa roda, ela (e) capricha nos elogios que são dirigidos a você.
Ela (e) reage ativamente ao que você está dizendo (mesmo se for para falar um simples “hã-hã”).
Sorri e ri muito mais do que o habitual para você ou quando está junto com você.
Fala coisas que vocês poderiam fazer juntos.
Deixa escapar que está sem planos para o fim de semana, numa tentativa de ser convidada (o).
 Faz várias perguntas pessoais.
Comenta que já o (a) havia notado antes, em algum lugar, mas sem dar muita atenção. Tenta ser natural.
Ela (e) não permite que os intervalos de silêncio ultrapassem mais de três segundos durante a conversa. Puxa logo outro assunto.
Ela (e) é prestativa aos assuntos referentes ao seu trabalho e escola.
Ela (e) dá mais informação sobre si mesma (o) do que você havia perguntado.
Inclina o corpo para frente (num ângulo agudo menor de 90 graus) e se posiciona sempre diante de você. Faz questão que a (o) veja.
De alguma maneira ela (e) procura tocar em você enquanto fala, tentando ser íntima (o).
A (o) amiga(o) dela(e) vai ao banheiro mais ela (e) fica (já viu uma mulher não acompanhar a outra no banheiro).
Dirige a linguagem corporal em sua direção.
Quando você segura a mão dela (e) por algum motivo qualquer, ela (e) segura a sua mão de volta.
Temos de reconhecer também indicadores de desinteresse por parte da outra pessoa. Isso nos ajudará a não quebrar a cara lá na frente. Veja alguns:
        Ela evita contato visual com você.
Evita ainda suas chamadas telefônicas (deixa o celular desligado, não atende quando é você que liga; atende você rapidamente ou rispidamente, pede para a mãe dizer que ela não está ou que está estudando).
Não contribui para a conversa continuar.
Inclina-se para longe, para outras pessoas.
Anda se afastando, como se o foco dela não fosse você.
Não aceita os seus convites, como cinema, teatro, passeio no shopping.
E pare de inventar desculpas para si mesmo(a) e perder suas noites de sono a espera de um telefonema que não virá, como podemos citar:
·         Talvez ele queira ir mais devagar na relação;
·         Talvez ele (a) esteja trabalhando muito e, portanto, esteja ocupado(a) demais para me retornar as ligações;
·         Talvez eu o (a) assuste;
·         Talvez ele (a) não queira estragar a nossa amizade;
·         Talvez seja assim que devia ser;
·         Mas, ele (a) acabou de sair de um relacionamento;
·         Ele(a) me disse que tem medo de sofrer de novo;
·         Dizer a si mesma: ‘mas ele (a) sente falta de mim’ ou ainda: ‘Eu gosto dele (a) assim’ e a melhor de todas: ‘mas ele (a) é uma pessoa muito boa’;


Se ele(a) quiser encontrá-lo (a), dará um jeito. Terá a iniciativa do contato. Se não acontecer isso invista a partir das estratégias que compartilhamos com você. Se não surtir o efeito esperado lembre-se: pelo menos, 3,5 bilhões de pessoa estão a sua espera e a fila anda.
(Acompanhe o próximo boletim da paquera aqui neste blog. Adquira também o livro: A arte da paquera: inspirações à realização afetiva. - Letras do Brasil Adquira já o teu exemplar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels