Qual livro escrito pelo psicólogo, Dr. Thiago de Almeida, você já teve a oportunidade de fazer o do

Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Homens têm mais facilidade em manter relacionamento aberto


Felippe Franco | Homem | 14/08/2012 13h08
Com o tempo, novas formas de intimidade passam a ser adotadas pela sociedade e se tornam mais aceitas - ao menos aos olhos menos conservadores. Uma delas é o relacionamento aberto.
A prática consiste basicamente em uma união onde as duas partes podem ter relações sexuais com outras pessoas, desde que não haja envolvimento afetivo. Segundo o psicólogo Thiago de Almeida, especialista em relacionamentos, manter um casamento do tipo é possível, ainda que mais fácil para os homens, que têm o hormônio responsável pelo afeto em menor quantidade.
"As mulheres têm mais ocitocina, que pode gerar um apego maior. Depois, elas têm dificuldade em se desapegar", afirma o psicólogo. "Homens também têm 30 vezes mais testosterona, o que nos torna mais libidinosos", completou.
Recentemente, o colunista Léo Dias, do jornal "O Dia", afirmou que o apresentador Marcos Mion vive um relacionamento aberto com a esposa Suzana Gullo. A prática também foi usada como justificativa por Zezé di Camargo quando sua separação de Zilu começou a ser especulada. O casal, no entanto, depois, assumiu que estava de fato se divorciando.
O relacionamento aberto, segundo o especialista, é indicado quando o casal sente necessidade de sexo e não se satisfaz apenas com o parceiro. É preciso que haja aprovação das duas partes e que elas tenham noção de que estão abrindo margem para um envolvimento com outras pessoas.

A contadora Mariana Lessa*, de 31 anos, mantém um casamento aberto com o marido, Alberto Nunes*, de 34, com quem é casada há sete anos em Sergipe. A moça revelou ao SRZD que eles, desde o namoro, têm liberdade para sair com outras pessoas.
"Nós não queríamos casar por achar que não conseguiríamos viver com uma pessoa só, principalmente em relação a sexo, até que amigos nos expuseram essa forma de viver e achamos que daria certo", contou.
Mariana garante que a prática não gerou qualquer tipo de atrito entre os dois. Para isso, ela garante que existem regras. "Não pode haver nada além do desejo sexual. Se acontecer, tem que cortar a saída para preservar o relacionamento", frisou ela. Essa situação, no entanto, para o psicólogo, é mais complexa do que parece.
"Qual nível de entrega eu posso ter com uma pessoa para dizer se eu estou ou não tendo envolvimento com ela? É difícil particularizar isso", questionou Thiago.
O sucesso do relacionamento, para Mariana, também é atribuído à personalidade do casal. "A pessoa tem que ter isso como visão de vida antes de encontrar parceiro. Tem que vir de dentro", garantiu.
(*) À pedido da entrevistada, os nomes foram trocados para preservar a imagem do casal.

Labels