Leia o conteúdo desse blog em teu idioma

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Por que mentimos nos nossos relacionamentos ?

Mentiras e omissões no relacionamento

O ser humano mente desde criança, seja para manter sua autoestima ou para que os outros tenham uma boa imagem dele. Mas será que esta atitude combina com relacionamentos amorosos? Para muitos casais, a verdade é requisito básico para manter a união. Entretanto, psiquiatras e terapeutas alegam que levar essa tal verdade ao pé da letra pode magoar o parceiro e dar início a crises que nem sempre são fáceis de serem contornadas
Na opinião do Thiago de Almeida, psicólogo especialista no tratamento das dificuldades nos relacionamentos amorosos, nenhum casal está imune à mentira. "Mentimos para que o nosso parceiro não sofra. Não estamos preparados para conflitos e discussões e nem para ouvir 100% da verdade. É melhor dizer para a atual parceira que você não tem mais contato com a ex, por exemplo, para não comprometer a relação", comenta. "O ser humano prefere ouvir uma mentira a uma verdade que lhe possa ser desagradável."
O especialista ressalta ainda que o ser humano precisa da aceitação do outro para se sentir melhor, uma vez que é carente de amor e elogio. "A maquiagem, o perfume, o salto alto, por exemplo, são artifícios para modificar a imagem que temos de nós mesmos", diz. "O mesmo acontece quando o assunto é o número de parceiras. Os homens, para se gabar, contabilizam mais mulheres do que realmente tiveram. Se eles conheceram duas, dizem 10. Já as mulheres são o contrário. Para não serem consideradas promíscuas, em vez de 10 contabilizam dois."
Mas como diz o ditado, a mentira pode sim ter perna curta. "Ela tem benefícios e malefícios. Confessar que a parceira está gorda pode ser positivo até determinado ponto. E quando ela para de funcionar traz muitas desvantagens. Uma mulher pode para de se relacionar com um rapaz se descobrir que ele a traiu", acredita  Thiago.
Foi o que aconteceu com a enfermeira Ana Cecília, de 34 anos. Ela tentou lidar com as mentiras do namorado, mas como a confiança no rapaz chegou ao fim, o relacionamento ficou bastante comprometido. "Ele flertava com as ex-namoradas e, mesmo com as evidências, negava", conta.
Ana disse que brigou, chorou e pressionou o companheiro a dizer a verdade. E mesmo sem a confissão, decidiu manter o relacionamento, que já durava oito meses. "Só que a minha desconfiança não cessou e levou ao término do relacionamento em um ano e dois meses. Tentamos voltar, ele quis se justificar, mas não teve jeito", afirma.
Cada cabeça, uma sentença
Dentro de um relacionamento, verdade é sinônimo de fidelidade. Porém, segundo Thiago, é mais comum disfarçarmos nossas próprias imperfeições e cobrar uma boa conduta do outro. Afinal de contas, a mentira é boa para enganar a nós mesmos. "Quando dizemos que não traímos, quando na verdade traímos, estamos tentado diminuir nossa culpa, dizer que a gente comete apenas deslizes e que os erros dos outros são mais sérios."
Não existe um manual sobre como assimilar ou dizer uma mentira, mas o especialista acredita que o tempo de relacionamento pode interferir no jeito como o casal lida com ela. "O tempo ajuda sim a desenvolver a leitura do comportamento alheio. Em um determinado momento, um percebe que o outro está mentindo, mas não liga. Cada casal precisa definir seu jeito de lidar com isso", acredita Dr. Thiago.
Já no começo do namoro acontece o que o  Thiago de Almeida define como a "fórmula do príncipe encantado". "Temos a tendência de melhorar a imagem do outro, enquanto o parceiro mostra o seu melhor. Com o aumento da familiaridade, passa-se a ter uma visão mais realista do outro e a mentira afeta cada vez menos a relação", explica. "Um exemplo típico é quando a mulher alega que está com dor de cabeça para não fazer sexo. É uma mentira politicamente correta, pois é mais fácil falar isso do que dizer que está com sono, deixando o parceiro chateado. Ele acaba aceitando a desculpa para não criar uma situação ruim", afirma. Porém, quando se desmente ou se descobre a mentira do outro, dá-se início a um conflito, cujas proporções variam de casal para casal. "Nessa hora um bom diálogo pode levar o casal a uma conciliação", aconselha  Thiago.


4 comentários:

  1. Olá Dr. Thiago suas materias são muito interessantes, mas eu posso dar minha opnião, hoje em dia a gente ve muitas pessoas jogando fora a oportunidade de encontrar pessoas honestas, a gente vive num mundo voluvel onde ninguem sabe o que quer, ou não está contente com aquilo que tem, eu acho que sinceridade é fundamental em nossas vidas, para construirmos um amor de verdade é preciso ser sincero com os nossos sentimentos!!
    MUITO SUCESSO SEMPRE......BJS TENHA UM OTIMO DIA

    ResponderExcluir
  2. Penso o mesmo. Mentimos ou omitimos para não trazer maiores problemas à relação ou não magoar o companheiro. Há mentiras sociais que fazem parte do nosso dia a dia, que todos, um dia, já fizeram uso dela. Creio que cabe a cada casal avaliar se a mentira afetará mto a relação a ponto de não se conseguir prosseguir com a mesma ou se pode ser algo relevado.

    ResponderExcluir
  3. oi, dr.thiago,adoro suas matérias sempre interessantes,esta caiu em mim,pois alguns dias atrás acabei relacionamento justamente por causa de mentiras da parte .chega um momento que não dá mais .

    ResponderExcluir
  4. Quem fala sobre os relacionamentos é um escritor, o autor do livro A LINGUAGEM CORPORAL NOS RELACIONAMENTOS E PAQUERAS. Ele fala ate como descobrimos as mentiras do parceiro dá ate para baixa-lo gratuitamente.. Acho que o nome dele é Marcos Tadeu Cardoso

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Colabore e comente o que achou sobre o texto que você leu. Ao Amor... Sempre!!

Labels